domingo, 27 de fevereiro de 2011

Modigliani


O existencialismo é o próprio corpo sobre o mundo. Seus gestos e anseios são o mundo se expressando através dele, ou é o corpo se debatendo contra ele?

Somos aquilo que vem do mundo, uma invasão pelos sentidos. A arte de regurgitar é nossa nau menos falaciosa.

O corpo é a única coisa que temos de concreto. O resto é burocracia.

E antes do mistério das ideologias e de toda essa metafísica sobre o mundo, como se fosse abutres sobre a carniça, o maior mistério ainda é o corpo de quem escolhemos para dividir a vida, os minutos, os segundos, a etrnidade de uma lembrança.

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Não deve ter mais o quê comentar, a não ser sobre os reflexos que insistimos tomar como realidade,e a impossibilidade do "Nosce te ipsum".

    Somos como um cometa, percutimos o futuro e o passado se perde, devanesce, mesmo quando insistimos, só nos resta o corpo e nossa relação com o agora. E todo o resto é mesmo um movimento burocrático e arrogante.

    ResponderExcluir
  5. Belíssima imagem, tão sedutora. Belíssimas palavras dos amigos Sávio e Magnos. Principalmente esta: "O corpo é a única coisa que temos de concreto. O resto é burocracia". Podemos considerar uma nova máxima existencialista.

    ;)

    ResponderExcluir
  6. he he he. grande dandi. mas são caras como vc e o 'magnos' que ajudam no combate à burocracia. vlw, brothers..

    ResponderExcluir