domingo, 26 de junho de 2011

Em sampler com lupinum: todo poema tem um bufão dentro



Deixe que lhe abra a blusa:
Eis o formato de teus seios em sonhos.
A curva de tuas costas são as galáxias de onã.
Cachos a roçar a pele que inflama.
Baba-se palavras diante de tua beleza.

Poesia só vale se poeta é fálico.
Se germina a terra em cavidade pantanosa.
Já o canto noturno das aves é o revirar dos olhos.

Desaguar-se é ato cometa estatelado no céu.
O movimento constantemente estático.

Eu te amo, no ir e vir das brumas da meiguice.

***

Abraço a tarde como se faz no amor.

Esqueço a pálida iniciativa de ser o mago,

O deus, o anjo.

Abraço o hálito da noite como se faz no amor.

Cuspo a vaidade do bufão que faz sonetos.

Só há copos, tigelas e chinelos vazios.

Os objetos da casa se desmancham.

Jogados no fundo do tempo,

Carregam lembranças e gestos que não vi.

Importância nenhuma. Memória tosca.

Amei uma mulher de cabelos negros.

Marcou-me a carne como sol da tarde.

Uma tirania vilã, um autoflagelo.

Perda irreparável daquilo que eu era:

Séculos antes, nos balanços sob as árvores.





4 comentários:

  1. O Lobo Mau era um poeta bufo...Que fazia sonetos
    para a vovozinha de olho na chapeuzinho.Que ainda
    precoce irradiava toda a malícia da Lolita de Nabokov.rsrs
    Voltando ao tópico anterior gostei muito do vídeo:
    Spiritus Vini.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. eu sempre quis fazer um som com bandolin. mas ele fica sempre meio místico, meio entre o celta e o oriente extremo. assim, nada melhor do que o vinho. spipiritus é um termo alquímico, que quer dizer essência, mais ou menos.

    depois, quando tiver o tempo, escute com calma, a mais clube da esquina que eu acho: balada para um grande amor.

    ps: passe seu end., se quiser, por e-mai, que lhe mando um CD (estúdio e ao vivo pro c) pelo correio. na boa. não será desconforto algum pra mim. estou de férias até agosto.

    o trem bão, sô!!!

    ResponderExcluir